Cria do Corinthians será envolvida em negociação europeia que vai render fortuna

Uma das melhores formas de se fazer dinheiro no futebol, é revelando jogadores. Afinal, além da venda para outros clubes – principalmente da Europa -, sempre que o atleta em questão for negociado, a equipe formador receberá uma quantia pelo ‘mecanismo de solidariedade’ da FIFA. E é justamente o que pode acontecer com o Corinthians nesta temporada.

De acordo com a entidade máxima do futebol, tal mecanismo, criado em 2000, é um dispositivo que serve para compensar financeiramente os clubes formadores dos atletas. E como isso pode beneficiar o Timão em 2024? Com a possível negociação de Carlos Augusto pela Inter de Milão.

Corinthians prioriza jovens e inicia onde de renovação na base

Desde que assumiu a presidência do Corinthians, Augusto Melo pediu para que os profissionais do clube tivessem um olhar mais carinhoso com as categorias de base – Fabinho Soldado, executivo de futebol, até disse isso publicamente em uma entrevista recente. Afinal, é o futuro do Timão.

Pensando nisso, a diretoria alvinegra já iniciou o processo de renovação de contrato e/ou assinatura do primeiro vínculo profissional com diversos atletas das categorias inferiores. O objetivo é poder lucrar dentro e fora de campo – podendo ficar mais tempo com os jogadores, antes de vendê-los para fora do país, por exemplo.

Como fez com Carlos Augusto, por exemplo, que chegou ao Timão com 11 anos de idade e foi vendido em 2020 (aos 21 anos), após duas temporadas atuando no elenco profissional. Depois de receber R$ 25,7 milhões do Monza, da Itália, pela compra do jogador, o Corinthians deve lucrar mais cerca de R$ 13 milhões com essa transferência à Inter de Milão.

Comentários estão fechados.