Ex-jogador de Palmeiras e São Paulo está encrencado com o Governo Federal por causa de R$ 45 milhões

Com passagens pelo Palmeiras, São Paulo e uma bela carreira feita pelo Flamengo, onde sua passagem durou cerca de 10 anos, Léo Moura pendurou as suas chuteiras em 2021. Porém, ainda em 2016, quando ainda estava bem longe de deixar os gramados, o jogador decidiu criar uma instituição, que não possui fins lucrativos, para dar mais oportunidades aos jovens de praticar atividades físicas.

No ano de 2020, como forma de incentivo, o Governo Federal, através do Ministério da Cidadania, que tinha incorporado o Ministério do Esporte, decidiu ajudar financeiramente a Organização Não Governamental (ONG). Assim, uma grande quantia foi destinada para a implantação do projeto “Passaporte para a Vitória” em algumas cidades. Porém, anos depois, foi descoberto um superfaturamento nos produtos adquiridos pelo Instituto do ex-jogador.

Governo Federal investiga superfaturamento em projeto social de Léo Moura, ex-São Paulo e Palmeiras

Entre os anos de 2020 até 2022, o Instituto Léo Moura Sports (ILM) recebeu cerca de R$ 45 milhões em repasses feitos pela Secretária do Esporte, na época parte do Ministério da Cidadania. Com o projeto implatado em 52 cidades do Brasil, os valores usados para adquirir materiais e infraestruturas para o projeto passam por investigação pela Controladoria Geral da União (CGU).

Após análises feitas pelo orgão, foi apontado que houve superfaturamento de R$ 2,68 milhões no que diz respeito a contratação de prestadores de serviço e na aquisição de materiais para o projeto. Ainda, a CGU recomendou ao Ministério do Esporte de que todos os repasses sejam bloqueados para a ILM.

“Concluiu-se que houve fragilidades nos procedimentos de concessão dos recursos e no acompanhamento da execução dos termos de fomento (…), irregularidades na contratação e na execução, pelo ILM, dos objetos dos quatro termos analisados, resultando em sobrepreço (SO) e superfaturamento (SF)”, afirmou a CGU em seu relatório.

Comentários estão fechados.