Goleiro Bruno decidiu vender camisas do Flamengo para sobreviver

O goleiro Bruno, bastante conhecido pela sua atuação com as cores do Flamengo e por seu envolvimento na morte e desaparecimento da modelo Eliza Samudio, vem enfrentando muita coisa desde que foi liberado para cumprir sua pena em liberdade. O defensor que atuou pelo clube carioca entre 2006 e 2010, relatou que passou por muitas dificuldades financeiras após sua prisão.

Em entrevista concedida em 2023 ao canal ‘Nação Urubu 81’, o arqueiro revelou que chegou a vender suas camisas do Flamengo para ajudar no pagamento de despesas. Além disso, Bruno também revelou que essa foi a forma que encontrou para pagar a pensão de Bruninho, filho do jogador com a modelo assassinada, Eliza Samudio, pois após sua prisão, o atleta perdeu todo o seu patrimônio e não tinha como arcar a dívida.

“O que me sobrou foram as camisas do Flamengo. Estou fazendo rifas para pagar uma pensão que hoje eu não tenho condições. Como pagar se não me deixam trabalhar? A mesma pessoa que me cobra um pagamento de R$ 90 mil é a mesma pessoa que quando eu comecei a trabalhar estava lá apoiando outros grupos, é uma perseguição. Todo mundo acha que eu tenho dinheiro” – disse Bruno na ocasião.

O goleiro revelou ainda que o processo de pensão do filho Bruninho, segue em justiça pois o ex-jogador segue com dificuldade para arcar com a dívida, já que não conseguiu retomar sua carreira dentro dos gramados desde que deixou a prisão.

Com expectativas de que conseguiria retornar a grandes clubes, o goleiro foi rejeitado por várias torcidas que condenaram sua contratação e Bruno conseguiu atuar por pouco tempo em clubes como o Boa Esporte, Poços de Caldas, Rio Branco-AC, Atlético Carioca e Búzios. Equipes como o Barbalha Futebol Clube, time da primeira divisão do Campeonato Cearense, chegou a cogitar a contratação do jogador mas voltou atrás após rejeição por grande parte dos torcedores de até outros clubes do estado do Ceará.

Comentários estão fechados.