José Mourinho surpreendeu ao rasgar elogios para ídolo do Corinthians

O treinador José Mourinho é um grande ex-futebolista português que atuava como meio-campista. Conhecido principalmente por suas grandes atuações como técnico em clubes europeus de grande destaque, como o Benfica, Chelsea, Real Madrid, Manchester United, Tottenham e por último Roma.

Mourinho nunca escondeu sua admiração pelo futebol brasileiro. O técnico que já teve a oportunidade de treinar grandes jogadores do Brasil, surpreendeu ao rasgar elogios para um dos grandes ídolos do Corinthians.

“Jogamos um Barcelona x Atlético Madrid na Supertaça, e Ronaldo chegou um dia antes do PSV. Na altura, o scouting era diferente, não tínhamos acesso à informação que temos hoje… Conhecíamos Ronaldo, mas era Mister Robson (treinador) que o conhecia melhor ainda”, iniciou o português sobre Ronaldo Fenômeno.

O treinador José Mourinho elogiou o craque Ronaldo Fenômeno, ídolo no futebol mundial. O português contou ainda sobre quando o craque fez sua estreia pelo Barcelona, em 1996, comprado pelo PSV. Mourinho afirmou que Ronaldo chegou e deixou o atacante Pizzi no banco de reservas. Em sua estreia, marcou gols decisivos em uma final contra o Atlético de Madrid, e logo se tornou titular absoluto.

“Ele (Robson) anuncia a equipe para o jogo: ‘Amanhã, joga Luís Figo, Ronaldo e Stoichkov (na frente de ataque).’ Eu disse-lhe que não podia colocar o Ronaldo, senão ia ‘matar’ o Pizzi (que tinha feito uma grande boa pré-temporada, com gols). ‘Ponha Ronaldo no banco’, disse. Ele respondeu: ‘José, quer ser um tipo simpático ou ganhar a Supertaça?’. ‘Quero ganhar’, avisei. Penso que ganhamos 5-2. Ronaldo marcou dois golos, no primeiro jogo”, afirmou Mourinho. “Ronaldo estava jovem, sem lesões, e aquele ano no Barcelona foi louco, louco, louco… Ele fez vários gols incríveis, louco, louco, louco”, destacou Mourinho.

Ronaldo jogou apenas uma temporada pelo Barcelona. Em 49 jogos, marcou supreendentemente 47 gols. Pelo Corinthians, Fenômeno, mesmo em sua pior época de forma física, jogou entre 2009 e 2011, sendo este último ano o de sua aposentadoria. Apesar de ter jogados pouco, em 69 jogos, marcou 35 gols e se tornou ídolo do Timão por se intitular como mais um do “bando de loucos”.

Comentários estão fechados.