Time de ídolo do Corinthians pode passar por situação que não acontece há quase 40 anos

Desde que se aposentou dos gramados, em 2011, e iniciou sua carreira na gestão de clubes, Ronaldo não teve uma temporada completa em paz. Com problemas no Real Valladolid, da Espanha, o Fenômeno está prestes a ver o Cruzeiro passar por algo que não acontece há muito tempo, antes mesmo de o camisa 9 estrear pelo clube mineiro.

Sem conquistar o campeonato estadual desde 2019, há cinco temporadas, o Cruzeiro pode amargar seu maior período de jejum das últimas quatro décadas – quando ficou sem taças do Campeonato Mineiro entre 1978 e 1983, encerrando esse tabu na temporada seguinte, quando bateu o Atlético-MG na decisão. O Galo, por sua vez, é o adversário desta final.

Em situações opostas, Cruzeiro pode ser favorito diante do Atlético-MG

Se vale como consolo a Ronaldo, o momento do Cruzeiro é muito melhor que o de seu principal rival. Mas, como no futebol tudo muda muito rápido, até o primeiro jogo da decisão – marcado para o próximo sábado (30), às 16h30 -, a situação pode se inverter.

De qualquer forma, o time do Fenômeno precisa vencer o Atlético-MG – o que já aconteceu nesta temporada, e na nova Arena MRV, do clube alvinegro – para evitar seu maior jejum dos últimos 40 anos. Isso, caso aconteça, coincidirá justamente com o pior momento do Cruzeiro em sua centenária história.

Afinal, foi pouco depois do título estadual de 2019 que tudo começou a desandar. Além do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, e a transformação para SAF, a Raposa amargou nada menos que três temporadas na segundona, retornando à elite somente em 2023.

É verdade que entre 1998 e 2003 o clube mineiro ficou sem conquistas estaduais, mas aqui há um porém, já que em 2002 os principais clubes de Belo Horizonte (Cruzeiro, Atlético-MG e América-MG) não participaram da competição.

Comentários estão fechados.